Páginas

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Hoje Á Noite e Sempre 01


Era crepúsculo que interlúdio estranho, quase místico quando ilumina e escuridão é perfeitamente equilibrada. Dentro de momentos o macio azul seria transformado pelas cores ígneas de pôr-do-sol. Sombras estavam alongando; pássaros estavam aquietando. 
Kasey estava ao pé dos passos que conduzem à mansão de Alfaiate. Ela glanced nos pilares brancos volumosos e tijolo de rosa velho com expansões enormes de vidro para espelho. Três histórias. Aqui e lá luzes lustraram vagamente por cortinas tiradas. Havia uma dignidade de monied sobre o lugar. Dinheiro velho, dignidade inerente. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Querida leitora (o), este espaço é pra você nos dizer o que pensa do livro, do autor e do blog, cuidado com Spoiler e ofensas, no mais tudo pode... bjs

Nosso Banner