Páginas

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Valiant 02


Longos galhos tropeçaram numa garrafa quando a mulher-ár¬vore se arrastou para se desprender do metal. Ela olhou fixamente o vidro escuro que rolou para a rua, vendo pingar do gargalo um resto do veneno amargo. Observava o rabisco conhecido na pe¬quena tira de papel presa com cera. O conteúdo daquela garrafa devia ter sido um tônico, não o instrumento de sua morte. Ela tentou se erguer mais uma vez. 
Um dos cachorros começou a ladrar. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Querida leitora (o), este espaço é pra você nos dizer o que pensa do livro, do autor e do blog, cuidado com Spoiler e ofensas, no mais tudo pode... bjs

Nosso Banner